Festival de Cinema de Veneza 2018
Resenhas e reflexões do Cinema na Mesa, por Juliana Sabbag

Dia #1

Chega um dia na vida que a gente realiza um sonho. Daqueles bem antigos.

 

Ver de perto um Festival de Cinema fora do país. E mais, cobrir o festival, participar das coletivas de imprensa, fazer entrevistas com os (as) diretores (as) que amamos.

 

Esse ano, elegi Veneza, o mais antigo dos festivais. Pra ver o Leão de Ouro nessa que é a 75a edição do festival.

 

E não é que a credencial chegou pra mim?

Olha só na foto, que alegria!

Festival+De+Veneza.png

A star is born

Coletiva de imprensa com Lady Gaga, que protagoniza junto com Bradley Cooper o filme A STAR IS BORN, que ele próprio dirigiu. Fiz uma live da entrevista pra quem quiser assistir mais um pouco. Só passar no stories pra assistir. É sempre uma grata surpresa ouvir Lady Gaga, sua gentileza e generosidade para com Bradley.

 

“É muito bom trabalhar com quem é melhor do que você. E Bradley é melhor do que eu. Só tenho a agradecer por ele ter me dado essa oportunidade”.

A+Star+is+Born.jpeg

Suspiria

SUSPIRIA é perturbador, macabro e implacável. Não te deixa respirar, nem mesmo refletir enquanto assiste. Ainda estou digerindo. É um mergulho nas sombras da natureza humana, na morte, na vida e nas profundezas do feminino. Tendo como pano de fundo a Berlim política dos anos 70 (com ecos do nazismo e da luta armada da RAF), esse remake idealizado por Luca Guadagnino, é uma mistura de Mãe!, Cisne Negro, Pina Baush e O Estranho que nós Amamos. Não é pouco!! Sala lotada em Veneza, coletiva de imprensa calorosa e “red carpet” para um elenco fascinante: Tilda Swinton, Dakota Jhonson e Thom York (responsável pela trilha, belíssima). Guadagnino não se furta de sua veia estética, e a fotografia do filme bem como os movimentos de câmera e enquadramentos nos servem para reforçar a experiência visceral e aterrorizante que o filme propõe.

Suspiria.jpeg

A favorita

Vamos falar do novo e divertidíssimo longa do cult Yorgos Lanthimos (O Lagosta e O Sacrifício do Cervo Sagrado) que trouxe Emma Stone e Rachel Weisz pro tapete vermelho na première de THE FAVOURITE e é um dos melhores do festival? Situado na Inglaterra do começo do século XVIII, essa comédia dramática traz as marcas do diretor grego contando a história da Rainha Anne e suas confidentes e amantes secretas Sarah e Abigail, que disputam sua atenção em jogos de sedução, mentiras e violência durante a guerra da Inglaterra com a França. Yorgos usa do seu costumeiro humor negro para mostrar a majestade mais preocupada com suas tortas e coelhos do que com a guerra, alternando momentos de pura melancolia com outros de graça absoluta. A fotografia é deslumbrante, o chiarooscuro tomando conta da tela, em ótimos enquadramentos, planos sequência e movimentos de câmera bastante precisos. A atriz Olivia Colman, que interpreta a rainha, está fantástica, e protagoniza os momentos mais hilários do filme. Imperdível!!

A+Favorita.png

Roma

ROMA, de Alfonso Cuarón, sai ovacionado na sessão de estreia. E não é pra menos. Uma espécie de ‘Que horas ela volta’ mexicano, a obra impacta e é maravilhosa. Trazendo a memória do diretor, uma fotografia primorosa em preto e branco e uma protagonista inesquecível, o filme nos transporta pra dentro da casa de uma família no México dos anos 70.

 

A casa como personagem. A dinâmica perversa da relação de poder entre patroa e empregada, as micro violências diárias que esta sofre, a invisibilidade e o lugar que as mulheres ocupam são assuntos urgentes e potentes, que o diretor costura bravamente neste que é até agora o melhor filme que assisti na mostra.
Continue acompanhando aqui os posts do Festival. Diariamente comento os filmes assistidos e as coletivas de imprensa.

Roma.png

Double Vies

DOUBLES VIES (NON - FICTION), o novo filme de Olivier Assayas, é bem humorado, levanta um arsenal de ideias e reflexões, é inteligente e contemporâneo. Para amantes da Literatura, um prato cheio pra discutir o lugar da autoficção, gênero que vem ganhando o gosto do leitor. Mas não é só. O filme expõe as idas e vindas de casamentos desgastados, a (in) fidelidade nas relações modernas, o futuro do mercado editor, o mundo digital, e um paralelo bem interessante entre as redes sociais, a ficção e a não ficção. E mais ainda, tem Juliette Binoche e Guillaume Canet de quem roubei uma self na coletiva de imprensa.

Selfie+com+Canet.png

Amiga genial

Uau...Parece as meninas daquele livro maravilhoso “A AMIGA GENIAL” da Elena Ferrante!! E não é que são elas mesmo? Adaptação pela HBO, o livro acaba de ganhar as telas em formato de série, com dois capítulos exibidos ontem aqui na @labiennale !! Lenú e Lila são vizinhas em Nápoles, em um bairro marcado pela violência, medo e pobreza no pós guerra dos anos 50. Mas que encontram uma na outra a esperança pra seguir a vida, sonhando juntas em ver o mar, fugir dali ou apenas escrever um livro. Cenário, fotografia, figurino e diálogos são como descritos no livro, o que faz dessa adaptação um belo feito. Amizade que emociona, filme que encanta. E essas meninas...atrizes mirins...ahh...quão apaixonantes são ❤️

A+Amiga+Genial.png

A Balada de Buster Scruggs

A antologia western THE BALLAD OF BUSTER SCRUGGS dos Irmãos Coen, faz sua première calorosa aqui em Veneza, reforçando estilo, autoria, linguagem estética e temática dos Irmãos. Dividido em 6 capítulos, algumas histórias se saem melhor que outras, como todo filme episódico. Minha menção especial vai pro conto do buscador de ouro, com Tom Waits protagonizando uma história terna e melancólica sobre a existência humana. Ao lado do primeiro episódio (sobre um cowboy cantor, que leva o título do filme), este se destaca entre os demais. Sátira, humor negro, morte, fatalidade e destino selado pelos próprios homens são o fio condutor de cada capítulo, ainda que independentes entre si. Confesso que tiraria meia hora do filme pra ter o timing perfeito, mas no todo ele agrada e diverte bem. Ambiciosa, não chega a ser a melhor obra dos Coen mas vai ficar pra história. Ao menos pra história do festival @labiennale. Com distribuição pela @netflix ainda sem data pra estreia no Brasil.

Buster+Scruggs.png